19 de setembro de 2017

A gente vai ficando...



Há fases da vida em que, sem perceber, a gente simplesmente sobrevive.
Alguma coisa não está boa o bastante, razoável o suficiente, transparente decentemente, mas a voz cala aquilo que o coração grita.
A gente vai ficando...
Fica por medo, por cansaço, por acomodação, por culpa, por preguiça, por crença e, principalmente, por delegar tudo ao tempo.
Acontece que, num determinado momento, somos pegos com a sensação de que o tempo não melhora, não vigora, não reconstitui nada. O tempo, inclusive, deteriora.
Pessoas não mudam de postura, de caráter e de valores com o tempo.
Situações não se modificam com o tempo.
O nocivo não deixa de ser veneno com o tempo.
O tempo revela, se impõe, desnuda.
O tempo descredita, desobriga, desama, desdobra e desamarra.
O tempo é aliado somente para bons alunos.
Ele não é capaz de corrigir a rota, mudar a tripulação e o roteiro da viagem.
O tempo se incumbe de apresentar os mapas, os diagnósticos, os roteiros de onde já se visitou, mas ele não fala, não cala, não interfere para quem não se permite um novo olhar, novo patamar, novo exemplar de si mesmo.
A única pessoa que o tempo é capaz de melhorar é você mesmo.
Não delegue.
Não entregue.
Não permita.
PERMITA-SE olhar para o tempo!
O tempo mandou avisar que há tempo para tempo de se aprimorar.

| Cláudia Dornelles

Nenhum comentário:

Você poderá gostar de...