15 de fevereiro de 2017

Eu não sei, meu amor, se o que digo é ternura, se é riso se é pranto


(...)
Eu não sei, meu amor, se o que digo é ternura, se é riso se é pranto


É por ti que adormeço e acordado recordo no canto 


Essa tarde em que tarde surgiste dum triste e profundo recanto 


Essa noite em que cedo nasceste despida de mágoa e de espanto 


Meu amor, nunca é tarde nem cedo para quem se quer tanto!

José Carlos Ary dos Santos

Nenhum comentário:

Você poderá gostar de...