27 de janeiro de 2017

Quem, portanto, não ama a solidão, também não ama a liberdade


Quem, portanto, não ama a solidão, também não ama a liberdade: apenas quando se está só é que se está livre (...)

Cada um fugirá, suportará ou amará a solidão na proporção exata do valor da sua personalidade.

Pois, na solidão, o indivíduo mesquinho sente toda a sua mesquinhez, o grande espírito, toda a sua grandeza; numa palavra: cada um sente o que é.

Arthur Schopenhauer

Nenhum comentário:

Você poderá gostar de...